Fundado por Paulo Pinto Mascarenhas


Ana Albergaria
Bernardo Pires de Lima
Diogo Belford Henriques
Eduardo Nogueira Pinto
Francisco Mendes da Silva
Henrique Raposo
Inês Teotónio Pereira
Jacinto Bettencourt
João Marques de Almeida João Vacas
José Bourbon Ribeiro
Leonardo Ralha
Luciano Amaral
Luís Goldschmidt
Manuel Castelo-Branco
Manuel Falcão
Nuno Costa Santos
Paulo Pinto Mascarenhas
Pedro Marques Lopes
Rodrigo Moita de Deus
Tiago Geraldo
Vasco Rato
Vitor Cunha


Logótipo Acidental concebido por Vitriolica. Grafismo gerado por Miss Still.


Acidental Long Play


Direita Liberal


O Acidental


Público

TSF

Lusa

Associated PressReuters


A Causa Foi Modificada
Bomba Inteligente
O Espectro
Educação Sentimental
A Vida em Deli
Futuro Presente
Aos 35
Vitriolica Webb's Ite
A Sexta Coluna
Tristes Tópicos
Some Like It Hot
Xanel 5/Miss Pearls
Crónicas Matinais
Rititi
Mood Swing
19 meses depois
Serendipity
A Propósito de Nada
The world as we know it
Minha Rica Casinha
Da Literatura
Tradução Simultânea
Contra a Corrente
O Estado do Sítio
Geraldo Sem Pavor
Acho Eu
A Arte da Fuga
O Sinédrio
Blue Lounge
Portugal Contemporâneo
A cor das avestruzes modernas
Kapa
Snob Blog

E Depois do Adeus
Margens de Erro
Nortadas
Office Lounging
No Quinto dos Impérios
Teorema de Pitágoras
What do you represent
Esplanar
Quase Famosos
Melancómico
Vício de Forma
João Pereira Coutinho I
João Pereira Coutinho II
Retalhos da Vovó Edith
Blogue dos Marretas
Lóbi do Chá
O Insurgente
A Mão Invisível
A Esquina do Rio
Voz do Deserto
Desesperada Esperança
Homem a Dias
Blasfémias
Origem das Espécies
Babugem
Ma-Schamba
Rua da Judiaria
Fuga para a vitória
Mar Salgado
A Ágora
Miniscente
A vida dos meus dias
Elasticidade
Causa Liberal
O Telescópio
Grande Loja do Queijo Limiano
O Intrometido
Carambas
Mau Tempo no Canil
Lobby de Aveiro
Bar do Moe
Adufe
Bloguítica
Tau-tau
Incontinentes Verbais
Causa Nossa
elba everywhere
O Observador
Super Flumina
Glória Fácil
Metablog
Dolo Eventual
Vista Alegre
Aforismos e Afins
A Cooperativa
Semiramis
Diário da República
Galo Verde
Ilhas
french kissin'
Bicho Carpinteiro
Portugal dos Pequeninos
Foguetabraze
A Invenção de Morel
Aspirina B
O Boato
O Vilacondense
O amigo do povo
O Insubmisso

Aviz
Barnabé
Blog de Esquerda
Fora do Mundo
Jaquinzinhos


Powered by Blogger


Google

sexta-feira, março 03, 2006

Don't cry for me Argentina

Temos (tivemos) Presidente. Na almoçarada de despedida organizada por Jorge Sampaio, assinala-se a extraordinária proeza de levar Luís Fazenda a retirar a gravata do armário e a portar-se bem à mesa. Não tenho dúvidas de que a evolução política do Bloco será feita assim mesmo, de gravata em gravata, até à democratização final. Mas este efémero banho de civilidade, devemo-lo, apenas e só, a Jorge Sampaio. É pena que se vá embora de vez. Por mim despedia-se todos os dias.

[Tiago Geraldo]

Comments on "Don't cry for me Argentina"

 

Blogger Miguel M. Ferreira said ... (8:53 da tarde) : 

è verdade...tenho pena daqueles que usam sempre um fatinho e gravata como se isso fosse imposto por qualquer regra de etiqueta ou de boa educação...ou mesmo como forma de se acharem aquilo que não são.
Mas de igual modo é triste aqueles (geralmente bloquistas, comunistas ou sindicalistas) que estão "proibidos" de usar uma gravata e tem de usar camisolas de lã ou camisas de flanela de gosto duvidoso...

 

Blogger Morgado Louro said ... (9:57 da tarde) : 

João Amaral, grande político e inteligência, teve sempre um forte handicap que o impediu de chegar mais longe, possivelmente à liderança do pc, a sua figura não era facilmente identificável com o eleitorado que representava. Não se trata de proibição ou impedimento como é referido.

Agora o que V diz gravata = civismo o que pode ser perigoso?

 

Anonymous Nuno Ferreira Martins said ... (11:21 da tarde) : 

O handicap de João Amaral no PCP, ao contrário do que morgado louro afirma, não era usar gravata: era usar a cabeça! Delito bem mais grave no seio desse democrático partido, sobretudo enquanto estivesse vivo o deus ex-machina dos olivais! Passou-se o mesmo, só para citar outro óbvio caso mais recente, com Luis Sá. O PCP enquanto for "comunista", ou seja, enquanto não se "renovar", nunca permitirá a veleidade de "divergir" (leia-se: pensar) a nenhum dos seus militantes. Lembre-se do estado das relações que João Amaral mantinha com a direcção nacional à altura do seu falecimento. Quanto aos passarões do BE e às suas (intermitentes) gravatas: que não se esqueçam que são um produto consumível da sociedade que tanto criticam. E como qualquer produto de consumo, também eles têm um prazo de validade. E o Anacleto já não cheira lá muito bem...

 

Blogger El Ranys said ... (3:30 da manhã) : 

Gravatas há muitas...

 

Anonymous hórácio said ... (10:21 da manhã) : 

o objectivo é dizer que Fazenda estava no almoço com Gravata ou que Fazenda estava no almoço,como representante do Be em vez de louçã em quem não se tem posto os olhos em cima?pq isso para mim é que é estranho .onde anda o omnipresente Francisco"grilinho falante" louçã?

 

Anonymous Nuno Ferreira Martins said ... (11:55 da manhã) : 

Suponho que o próprio Anacleto já se tenha cansado da sua própria imagem!

 

Blogger luis ferreira said ... (8:27 da manhã) : 

O hábito não faz o monge.

O Bloco de Esquerda procura viver com as regras desta sociedade, mas não quer esta sociedade. Idealiza uma outra, ainda duma forma indefinida, mas que em qualquer dos casos (expressão grata a Louçã), não faz parte do sistema onde a sociedade portuguesa se insere.

 

Anonymous Anónimo said ... (9:39 da manhã) : 

Olha a Paula Bobobe do Acidental! Mas com mais panache intelectual, atenção... Ó Tiago, olhe que eu ouvi dizer que o Fazenda até levava meias brancas para o palácio de Belém ;)Esta esquerdalhada...

caramelo

 

Blogger Pedro Sá said ... (1:56 da tarde) : 

Deveria ser proibido aos Deputados estarem em sessões da AR sem estarem de gravata.

Fazerem-no é, no mínimo, falta de educação.

 

post a comment