Fundado por Paulo Pinto Mascarenhas


Ana Albergaria
Bernardo Pires de Lima
Diogo Belford Henriques
Eduardo Nogueira Pinto
Francisco Mendes da Silva
Henrique Raposo
Inês Teotónio Pereira
Jacinto Bettencourt
João Marques de Almeida João Vacas
José Bourbon Ribeiro
Leonardo Ralha
Luciano Amaral
Luís Goldschmidt
Manuel Castelo-Branco
Manuel Falcão
Nuno Costa Santos
Paulo Pinto Mascarenhas
Pedro Marques Lopes
Rodrigo Moita de Deus
Tiago Geraldo
Vasco Rato
Vitor Cunha


Logótipo Acidental concebido por Vitriolica. Grafismo gerado por Miss Still.


Acidental Long Play


Direita Liberal


O Acidental


Público

TSF

Lusa

Associated PressReuters


A Causa Foi Modificada
Bomba Inteligente
O Espectro
Educação Sentimental
A Vida em Deli
Futuro Presente
Aos 35
Vitriolica Webb's Ite
A Sexta Coluna
Tristes Tópicos
Some Like It Hot
Xanel 5/Miss Pearls
Crónicas Matinais
Rititi
Mood Swing
19 meses depois
Serendipity
A Propósito de Nada
The world as we know it
Minha Rica Casinha
Da Literatura
Tradução Simultânea
Contra a Corrente
O Estado do Sítio
Geraldo Sem Pavor
Acho Eu
A Arte da Fuga
O Sinédrio
Blue Lounge
Portugal Contemporâneo
A cor das avestruzes modernas
Kapa
Snob Blog

E Depois do Adeus
Margens de Erro
Nortadas
Office Lounging
No Quinto dos Impérios
Teorema de Pitágoras
What do you represent
Esplanar
Quase Famosos
Melancómico
Vício de Forma
João Pereira Coutinho I
João Pereira Coutinho II
Retalhos da Vovó Edith
Blogue dos Marretas
Lóbi do Chá
O Insurgente
A Mão Invisível
A Esquina do Rio
Voz do Deserto
Desesperada Esperança
Homem a Dias
Blasfémias
Origem das Espécies
Babugem
Ma-Schamba
Rua da Judiaria
Fuga para a vitória
Mar Salgado
A Ágora
Miniscente
A vida dos meus dias
Elasticidade
Causa Liberal
O Telescópio
Grande Loja do Queijo Limiano
O Intrometido
Carambas
Mau Tempo no Canil
Lobby de Aveiro
Bar do Moe
Adufe
Bloguítica
Tau-tau
Incontinentes Verbais
Causa Nossa
elba everywhere
O Observador
Super Flumina
Glória Fácil
Metablog
Dolo Eventual
Vista Alegre
Aforismos e Afins
A Cooperativa
Semiramis
Diário da República
Galo Verde
Ilhas
french kissin'
Bicho Carpinteiro
Portugal dos Pequeninos
Foguetabraze
A Invenção de Morel
Aspirina B
O Boato
O Vilacondense
O amigo do povo
O Insubmisso

Aviz
Barnabé
Blog de Esquerda
Fora do Mundo
Jaquinzinhos


Powered by Blogger


Google

sexta-feira, março 10, 2006

Case closed

Pacheco Pereira sempre teve uma obsessão doentia por Paulo Portas e por tudo o que lhe possa cheirar a “portismo”. Agora transformar o Acidental e a Atlântico (juntamente com o grupo parlamentar do CDS) nas “forças” de que Portas “dispõe” seria pura e simplesmente ridículo se não fosse esta desagradável mania “maoísta” de enfiar tudo no mesmo saco. As origens raramente se perdem!

Constança Cunha e Sá, n' O Espectro

Constança Cunha e Sá escreve o indispensável. É verdade que é amiga de Paulo Portas, como também faz questão de dizer. Mas já lhe bateu forte e feio, enquanto político. O problema do artigo de Pacheco Pereira (PP) na revista "Sábado" é a sua desonestidade intelectual. É estar a mentir sobre a Atlântico. Pior, mente intencionalmente, com um objectivo político e mediático claro: desvalorizar uma revista que, pelos vistos, começa a preocupar seriamente algumas pessoas, porque é mais lida e mais comentada nos outros meios de comunicação social.

Calculo que Pacheco Pereira seja amigo de Cavaco Silva - foi vice-presidente do PSD na AR quando Cavaco era primeiro-ministro e líder do partido -, de Marques Mendes ou de Rui Rio. Mas não é por isso que desqualifico os seus comentários antigos ou recentes sobre Cavaco, Marques Mendes ou Rui Rio. Nunca direi que Pacheco enquanto comentador é uma das forças à disposição de Cavaco Silva, Marques Mendes ou Rui Rio.

Escrever, como Pacheco Pereira escreveu, que a revista Atlântico é uma das "forças" ao dispôr de Paulo Portas, é pôr em causa a independência e a seriedade de académicos, historiadores, jornalistas e intelectuais como Rui Ramos, Constança Cunha e Sá, Luciano Amaral, Vasco Rato, João Marques de Almeida, João Pereira Coutinho, M. Fátima Bonifácio, Pedro Lomba (o artigo que o Pedro escreve hoje no "DN" é aliás elucidativo do tamanho da mentira de Pacheco), Maria Filomena Mónica ou Paulo Tunhas, entre muitos outros.

No fundo, todos sabemos qual é a intenção subreptícia de Pacheco Pereira: num momento em que perde audiências nos mais diversos meios de comunicação social em que intervém; em que o seu predomínio e o seu ganha-pão começam a ser disputados muito seriamente por novos comentadores e novos pensadores; procurou arranjar uma polémicazinha com um alvo que julgava ser fácil. Concedo-lhe esse favor.

[Paulo Pinto Mascarenhas]

PS: Já nem falo d' O Acidental, porque as opiniões, entre nós, dividem-se regularmente. Há quem entenda que o dr. Pacheco e as obsessões do dr. Pacheco não merecem resposta. Que é exactamente o que ele quer, num momento em que está francamente em baixo de forma. Eu não aceito ficar calado quando vejo alguém apanhado a mentir em público. Como é o caso. Basta ler a opinião bem recente - e algumas antigas - do Pedro Marques Lopes e de outros antigos e novos colaboradores acidentais, para saber que este blogue foi sempre um espaço de liberdade e nunca ninguém esteve acima da crítica.

Comments on "Case closed"

 

Anonymous Anónimo said ... (8:31 da tarde) : 

Não percebo é onde é que está a mentira, francamente.

Que o Acidental, e designadamente PPM, é da área politica de Paulo Portas é do conhecimento público.

Que os colaboradores da revista Atlântico são, na sua maioria, os mesmos do Acidental também é do conhecimento público.

Nem faço ideia, mas julgo que alguns serão mesmo militantes do CDS/PP.

Em bom rigor, até devia estar satisfeitos com a identificação.

Joaquim Vieira

 

Anonymous Anónimo said ... (8:59 da tarde) : 

Bem, a CSS e o VPV acabam de fechar o blogue. E o João Miranda ainda continua por cá :-)

 

Anonymous Anónimo said ... (9:14 da tarde) : 

No Acidental e no Espectro ninguém se pergunta por qual razão cada linha escrita pelo pacheco pereira provoca irritações bélicas monumentais, muito superiores ao que Portas já consegue, por qual razão ele domina todas as discussões sem sequer estar presente nelas, por qual razão a blogosfera de direita se atiça muito mais com ele do que com o Aspirina B e quejandos, por qual razão as várias tenatativas de o dar por morto - a actual é a da mirifica "perda de influência - falham sempre.

Alberto

 

Anonymous Anónimo said ... (9:15 da tarde) : 

Se PP tem uma "obsessão doentia" quando escreve sobre Portas, como é que se chama a vossa quando escrevem sobre Sampaio... Duplicidades.

 

Anonymous Anónimo said ... (9:17 da tarde) : 

Todos os dias o Espectro, o Acidental e mais meia dúzia de blogs demonstram que o JPP é o centro da blogosfera. Custa a damitir, mas é verdade. E ele vai continuar cá depois do Espectro...

 

Anonymous Anónimo said ... (9:19 da tarde) : 

No último dia noventa por cento do Acoidental são posts contra o Pacheco, e também é nesses que está o maior número de comentários. Podiam mudar o nome para o Anti-Pacheco

 

Anonymous Anónimo said ... (9:21 da tarde) : 

O que deve divertir o JPP que está fora de Portugal e longe destas coisas, todo este tumulto caseiro do formigueiro orfão de Portas, que ele ajudou a derrubar.

 

Anonymous Anónimo said ... (9:34 da tarde) : 

O post de PPM é que é de uma grande desonestidade intelectual. O modo como a revista mudou desde a sua direcção, o modo como é tratada e propagandeada por meios politicos, a sua intencionalidade evidente dentro da nova direita "cultural", torna absolutamente legítima a análise do José Pacheco Pereira. Não é saber se todos os seus colaboradores estão no mesmo saco e até a tendência de PPM para usar os seus nomes é típica da manipulação política. Como sempre o que é mais relevante na Atlantico são os ódios de estimação e os silêncios de estimação. Será que a Atlãntico vai bater na paupérrima exibição televisiva de portas? Duvido.

 

Anonymous Anónimo said ... (9:49 da tarde) : 

O Pacheco irrita-vos por dizer coisas inconvenientes para a estratégia de Portas e do seu grupo, mas diz verdades como se demonstrou nos dias logo a seguir ao artigo. Como interpretar o conflito entre o grupo do PP na Assembleia e o líder Ribeiro e Castro a não ser como reflexo das manobras posicionais que o pacheco denunciou? Não vi anda no Acidental nenhum post sobre esse conflito.

 

Anonymous d said ... (10:06 da tarde) : 

...

 

Anonymous Chico de Óbidos said ... (10:22 da tarde) : 

Isto cansa de ser tão seca.
O Pacheco Pereira não vale 10% do VPV, e isso irrita-o.
Bater no VPV é comprar uma guerra que só Deus sabe onde parar aquela pena e adjectivos.
Portanto toca a bater nos do costume.
A rapaziada já está habituada e até acha graça. Mais dia menos dias o PP esqueçe-se de cumprimentar alguém. Já vi começar com menos!
Está-lhe na alma

 

Anonymous Anónimo said ... (11:50 da tarde) : 

É de chorar a rir! O Espectro arrumou com o Abrupto e agora VPV e CCS dizem bye-bye! Coitado do Pachequinho, deviam ser mais meiguinhos...

 

Anonymous Anónimo said ... (12:15 da manhã) : 

Concordo, extensamente, com o que escreve, com uma pequena, mas importante excepção.
As últimas palavras da sua nota dizem-nos que:"este blogue foi sempre um espaço de liberdade e nunca ninguém esteve acima da crítica". Não é verdade. Vários comentários feitos a Carla Hilário e Rita Silvério, duas colaboradoras da Atlântico muito controversas foram por si apagados com a desculpa de que eram ofensivos. Muitos não eram. Essas duas pessoas foram por si colocadas acima da crítica. Porquê? As razões parecem pouco abonatórias da sua credibilidade e isenção. O Acidental ficou irremediavelmente marcado por esse procedimento, o que se lamenta.

 

Anonymous JB said ... (12:30 da manhã) : 

Mas qual marcado, qual carapuça? Se assim é, não volte aqui. Ponto final. As pessoas não estão acima da crítica; estão é acima das ofensas que dezenas de anónimos mal-criados debitam aqui diariamente. Ninguém dos bloggers do acidental tem quaisquer deveres perante a audiência; escrevem porque querem, porque lhes apetece, sobre o que lhes vai na alma. São livres de escrever e livres de escolher os assuntos e os ângulos. Não gostam, paciência.

JB

 

Blogger PPM said ... (2:51 da manhã) : 

Para o primeiro anónimo, agora só para as mentiras que corrobora:

1. "Que o Acidental, e designadamente PPM, é da área politica de Paulo Portas é do conhecimento público."

Mentira, o Acidental tem pessoas do PSD, pessoas independentes, pessoas do CDS que não são da "área do Paulo Portas", pessoas que podendo ser da área de Paulo Portas pensam pela sua própria cabeça e dizem o que lhes vai nela. Eu nunca pedi autorização a quem quer que seja para escrever o que quer que seja.

"Que os colaboradores da revista Atlântico são, na sua maioria, os mesmos do Acidental também é do conhecimento público."

Mais uma mentira. Os "colaboradores da revista Atlântico" NÃO "são, na sua maioria, os mesmos do Acidental. Se a Atlântico tiver 10 por cento de colaboradores do Acidental, dou-lhe um prémio.

"alguns serão mesmo militantes do CDS/PP".
Eu sou. Não sei se há mais dois ou três em dezoito (18). Há problema? É crime, ou só se pode ser militante do PSD e do PS na imprensa portuguesa? isso é elemento de desqualificação na sua escala de valores. E do PCP ou do BE, podemos ser?

 

Blogger Anti-critico do Freitas! said ... (10:28 da manhã) : 

O que e esta direita da qual vossas excelências e a CCs fazem parte, defendem e pela qual se melindram tanto?

E uma ideologia ou uma pessoa:o PP?

Vocês têm ideias ou desesperam por um lider: o PP?

O PP, que entra e sai, e faz e desfaz partidos conforme as suas conveniencias circunstâncias, e conforme isso o aproxime da sua obcessão pelo poder politico, é da direita?

O que é essa direita?

Familia? não... o PP não constitui familia, nao tem filhos, nem é casado!

Liberalismo? Não isso é o PSD, e até o PS...

O quê?

Ser "bemzoca"? Ou seja, "domdoca"?

O quê?

Se ou menos soubessem até poderiamos ser contra. Ou até mesmo a favor!

 

Anonymous Chico de Óbidos said ... (4:56 da tarde) : 

O anti-crítico do Freitas é o espelho da esquerda. Pequenina, vazia, fraquinha, inha, zinha, zita.
PP é aos 40 o que ninguém da esquerda é, ou foi aos 80!

Mas acho bem que insistas no Freitas. Como modelo deve ficar-te a matar!

 

Anonymous Anónimo said ... (12:23 da tarde) : 

Ainda não percebi por que ninguém se pergunta da razão da substituição da Helena Matos pelo PPM , que não tem outra carreira senão a de boy do PP, e que não tem credenciais para o cargo. Só pode haver razões de carácter político. É por isso que o JPP acertou em cheio e vocês estão danados

 

Anonymous Anónimo said ... (12:43 da tarde) : 

Boa pergunta nunca tinha pensado nisso.

 

Anonymous Anónimo said ... (10:27 da tarde) : 

Será porque a revista era lida por um grupinho de amigos da Helena?

 

Anonymous Anónimo said ... (12:11 da manhã) : 

Será porque a revista não era lida e agora é? Será por isso e por o tal do PPM ter sido jornalista uns dez anos no Independente e editor? E a Helena, o que foi antes de ser directora? Boa pergunta?

 

post a comment