Fundado por Paulo Pinto Mascarenhas


Ana Albergaria
Bernardo Pires de Lima
Diogo Belford Henriques
Eduardo Nogueira Pinto
Francisco Mendes da Silva
Henrique Raposo
Inês Teotónio Pereira
Jacinto Bettencourt
João Marques de Almeida João Vacas
José Bourbon Ribeiro
Leonardo Ralha
Luciano Amaral
Luís Goldschmidt
Manuel Castelo-Branco
Manuel Falcão
Nuno Costa Santos
Paulo Pinto Mascarenhas
Pedro Marques Lopes
Rodrigo Moita de Deus
Tiago Geraldo
Vasco Rato
Vitor Cunha


Logótipo Acidental concebido por Vitriolica. Grafismo gerado por Miss Still.


Acidental Long Play


Direita Liberal


O Acidental


Público

TSF

Lusa

Associated PressReuters


A Causa Foi Modificada
Bomba Inteligente
O Espectro
Educação Sentimental
A Vida em Deli
Futuro Presente
Aos 35
Vitriolica Webb's Ite
A Sexta Coluna
Tristes Tópicos
Some Like It Hot
Xanel 5/Miss Pearls
Crónicas Matinais
Rititi
Mood Swing
19 meses depois
Serendipity
A Propósito de Nada
The world as we know it
Minha Rica Casinha
Da Literatura
Tradução Simultânea
Contra a Corrente
O Estado do Sítio
Geraldo Sem Pavor
Acho Eu
A Arte da Fuga
O Sinédrio
Blue Lounge
Portugal Contemporâneo
A cor das avestruzes modernas
Kapa
Snob Blog

E Depois do Adeus
Margens de Erro
Nortadas
Office Lounging
No Quinto dos Impérios
Teorema de Pitágoras
What do you represent
Esplanar
Quase Famosos
Melancómico
Vício de Forma
João Pereira Coutinho I
João Pereira Coutinho II
Retalhos da Vovó Edith
Blogue dos Marretas
Lóbi do Chá
O Insurgente
A Mão Invisível
A Esquina do Rio
Voz do Deserto
Desesperada Esperança
Homem a Dias
Blasfémias
Origem das Espécies
Babugem
Ma-Schamba
Rua da Judiaria
Fuga para a vitória
Mar Salgado
A Ágora
Miniscente
A vida dos meus dias
Elasticidade
Causa Liberal
O Telescópio
Grande Loja do Queijo Limiano
O Intrometido
Carambas
Mau Tempo no Canil
Lobby de Aveiro
Bar do Moe
Adufe
Bloguítica
Tau-tau
Incontinentes Verbais
Causa Nossa
elba everywhere
O Observador
Super Flumina
Glória Fácil
Metablog
Dolo Eventual
Vista Alegre
Aforismos e Afins
A Cooperativa
Semiramis
Diário da República
Galo Verde
Ilhas
french kissin'
Bicho Carpinteiro
Portugal dos Pequeninos
Foguetabraze
A Invenção de Morel
Aspirina B
O Boato
O Vilacondense
O amigo do povo
O Insubmisso

Aviz
Barnabé
Blog de Esquerda
Fora do Mundo
Jaquinzinhos


Powered by Blogger


Google

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Coisas simples que eu não consigo entender

Se em todo o mundo há limites de velocidade para que raio os carros são produzidos para ultrapassar esses limites?

[Rodrigo Moita de Deus]

Comments on "Coisas simples que eu não consigo entender"

 

Blogger Rui Castro said ... (12:19 da tarde) : 

Caga nisso!

 

Blogger Miguel M. Ferreira said ... (1:07 da tarde) : 

Também já gastei alguns segundos de vida a pensar nisso...porque razão não se restringe a 120, 130 ou até 150 Km nos carros à saída da fábrica?
É produzir uma coisa para violar a lei

 

Anonymous Carlos Duarte said ... (1:43 da tarde) : 

Bem, e fazendo de advogado do diabo, por dois motivos:

- liberdade de quem compra: o carro desde que tenha a capacidade para cumprir a Lei, é legal. A possibilidade de poder ser usado para fins ilegais não é justificação, pois quase qualquer objecto comprado o pode.

- emergências: segundo o nosso Código de Viação, qualquer veículo pode assinalar marcha de urgência, o que lhe permite ultrapassar limites de velocidade (e quebrar outras regras) em caso de necessidade. Uma restrição nesse caso seria um contra-senso.

 

Anonymous Alberto M. Reis said ... (2:39 da tarde) : 

Porque na Alemanha o limite de velocidade nas auto-estradas é regulado de acordo com o estado do tempo, transito, etc...e há alturas em que os condutores são informados (através de placares electronicos) que não há, dentro de um determinado percurso, limites de velocidade...

 

Blogger JCS said ... (2:50 da tarde) : 

Temos alguns países sem controlo de velocidade. A Alemanha será o melhor exemplo, mas não é o único. Dos muitos quilómetros sem controlo de velocidade, na Alemanha, os registos de acidentes são muito inferiores aos das nossas controladas estradas.

A questão da velocidade não é o mais importante. Os aviões viajam a oitocentos quilómetros por hora e não é por isso que chocam todos os dias de frente. Se houver cultura, cuidados com as máquinas, formação, muito boa formação, a velocidade deixa de ser causa de acidente.

Por outro lado, a questão da velocidade é, acima de tudo, muito estúpida. Se eu conduzir um Bentley de oitenta mil contos, tenho os mesmos limites de velocidade de um Fiat Punto de 95. No entanto, se eu precisar de travar o meu Bentley, tenho quatro milionários travões de disco que mo param em menos de nada. Já o Punto, se tiver de fazer a mesma travagem, só pára na faixa contrária já abraçado a dois camiões e uma mota.

É a velhinha questão de trata de forma igual o que é desigual.

 

Anonymous Anónimo said ... (4:18 da tarde) : 

Caro JCS,

A alemanha tem limites de velocidade. Na autoestrada, e por uma questão de "tradição" entre a construção automóvel e a invenção das próprias, o condutor pode circular a qualquer velocidade sendo que, passando dos 140 (se não estou em erro) perde o direito ao seguro próprio.

Os aviões circulam em faixas exclusivas. E quanto ao argumento do Bentley eu também penso que os limites de velocidade deviam ser fundamento para uma luta de classes invertida.

De resto, parece-me que o argumento do livre arbítrio é perigoso para o caso. Afinal outros circulam na mesma estrada e quando falamos em velocidade falamos em salvaguardar a segurança dos outros.

um abraço

RMD

 

Blogger Jordão said ... (7:55 da tarde) : 

O quie vos vale é serem ricos. Experimentem andar com um Ford Fiesta 1.1 numa auto-estrada a 120 e depois digam-me se a experiência é agradável... e no entanto o Fiesta até é dá 150!

 

Blogger Tiago Alves said ... (1:28 da tarde) : 

Alemanha Alemanhaaaaa. Seja como for, concordo com algumas travagens forçadas onde existem os tais limites

 

Anonymous jordão said ... (4:41 da manhã) : 

Ninguém me responde porque todos sabem que é muito mais agradável e cómodo andar a 120 num carro que dá 200 do que num carro que dá 150, porque a Mecânica tem alguns segredos e mistérios - e os binários dos motores não permitem acelerações de BMW até aos 120 e não desenvolver mais depois disso! Basta pensar um bocadinho - ou andar num chasso, seus burgueses! (Nem vale a pena falar no facto de os carros de série não terem travões de carbono, tipo Fórmula 1, para reduzir drasticamente a velocidade em caso de emergência...)

 

Anonymous Anónimo said ... (1:02 da tarde) : 

E quem disse que os automóveis só andam na via pública? Não se pode circular nos autódromos e em outras propriedades privadas sem limite legal de velocidade?

Gotenks

 

post a comment