Fundado por Paulo Pinto Mascarenhas


Ana Albergaria
Bernardo Pires de Lima
Diogo Belford Henriques
Eduardo Nogueira Pinto
Francisco Mendes da Silva
Henrique Raposo
Inês Teotónio Pereira
Jacinto Bettencourt
João Marques de Almeida João Vacas
José Bourbon Ribeiro
Leonardo Ralha
Luciano Amaral
Luís Goldschmidt
Manuel Castelo-Branco
Manuel Falcão
Nuno Costa Santos
Paulo Pinto Mascarenhas
Pedro Marques Lopes
Rodrigo Moita de Deus
Tiago Geraldo
Vasco Rato
Vitor Cunha


Logótipo Acidental concebido por Vitriolica. Grafismo gerado por Miss Still.


Acidental Long Play


Direita Liberal


O Acidental


Público

TSF

Lusa

Associated PressReuters


A Causa Foi Modificada
Bomba Inteligente
O Espectro
Educação Sentimental
A Vida em Deli
Futuro Presente
Aos 35
Vitriolica Webb's Ite
A Sexta Coluna
Tristes Tópicos
Some Like It Hot
Xanel 5/Miss Pearls
Crónicas Matinais
Rititi
Mood Swing
19 meses depois
Serendipity
A Propósito de Nada
The world as we know it
Minha Rica Casinha
Da Literatura
Tradução Simultânea
Contra a Corrente
O Estado do Sítio
Geraldo Sem Pavor
Acho Eu
A Arte da Fuga
O Sinédrio
Blue Lounge
Portugal Contemporâneo
A cor das avestruzes modernas
Kapa
Snob Blog

E Depois do Adeus
Margens de Erro
Nortadas
Office Lounging
No Quinto dos Impérios
Teorema de Pitágoras
What do you represent
Esplanar
Quase Famosos
Melancómico
Vício de Forma
João Pereira Coutinho I
João Pereira Coutinho II
Retalhos da Vovó Edith
Blogue dos Marretas
Lóbi do Chá
O Insurgente
A Mão Invisível
A Esquina do Rio
Voz do Deserto
Desesperada Esperança
Homem a Dias
Blasfémias
Origem das Espécies
Babugem
Ma-Schamba
Rua da Judiaria
Fuga para a vitória
Mar Salgado
A Ágora
Miniscente
A vida dos meus dias
Elasticidade
Causa Liberal
O Telescópio
Grande Loja do Queijo Limiano
O Intrometido
Carambas
Mau Tempo no Canil
Lobby de Aveiro
Bar do Moe
Adufe
Bloguítica
Tau-tau
Incontinentes Verbais
Causa Nossa
elba everywhere
O Observador
Super Flumina
Glória Fácil
Metablog
Dolo Eventual
Vista Alegre
Aforismos e Afins
A Cooperativa
Semiramis
Diário da República
Galo Verde
Ilhas
french kissin'
Bicho Carpinteiro
Portugal dos Pequeninos
Foguetabraze
A Invenção de Morel
Aspirina B
O Boato
O Vilacondense
O amigo do povo
O Insubmisso

Aviz
Barnabé
Blog de Esquerda
Fora do Mundo
Jaquinzinhos


Powered by Blogger


Google

terça-feira, abril 26, 2005

Se a esquerda mandasse na Igreja

Apareceu agora um blogue - eu, pelo menos, só o descobri agora - chamado A Grande Loja dos Trezentos, escrito por dois nomes sem apelidos mas que não me são nada estranhos. Bem pelo contrário, daqui envio cumprimentos aos dois.
Ora, um dos bloguiadores, o Francisco, mandou-me empaturrar de hóstias por causa deste poste em que digo que se a esquerda mandasse na Igreja, os padres dariam preservativos em vez de hóstias.
Mas o Francisco diz isto também a propósito de outro poste, desta vez assinado pelo JPH, no Glória Fácil, onde se ironiza sobre o mesmo assunto, escrevendo-se que se a esquerda mandasse na Igreja, esta "não escolheria a propagação da Sida como método primeiro de controlo do crescimento populacional" - uma sentença realmente objectiva: bem lá no fundo, os padres querem é matar o pessoal para depois poderem celebrar mais umas missas.
Para início de conversa, fique o meu amigo Francisco a saber que não sou católico praticante e só dificilmente me empaturraria de hóstias, uma expressão aliás muito elegante e demonstradora de um imenso respeito democrático pelos que defendem outros pontos de vista que não aqueles que ele próprio entende estarem correctos. Mas eu é que sou o reaccionário, claro.
Calculo que o Francisco lê o Acidental, mas não sei se percebeu o contexto em que foi escrito o referido poste. Eu explico: foi escrito numa altura em que várias personalidades de esquerda, incluindo Louçã, Saramago e Mário Soares, que nada têm a ver com a Igreja, manifestavam o seu profundo desagrado com a eleição de Ratzinger como papa, dando conta das suas diversas preferências para o lugar.
Ora, se a Igreja Católica se transformasse naquilo que o Bloco de Esquerda ou o dr. Soares entendem que deveria ser, elegendo como papas aqueles que eles acham por bem, provavelmente o sr. Leonardo Boff, ela deixaria de ser a Igreja Católica e passaria a ser outra coisa qualquer, provavelmente uma agremiação de distribuição de preservativos e de promoção de uniões de facto.
Claro que o JPH pode entender e defender que a Igreja Católica, ao recusar os preservativos como método anticoncepcional, está a contribuir para a propagação da SIDA. Eu, na minha infinita ignorância, julgava que seriam outras as organizações laicas, nomeadamente das Nações Unidas e de outras sedes internacionais, cuja única responsabilidade é o combate à SIDA, com fundos de milhões de dólares por ano, que estão a falhar nas suas campanhas contra este flagelo. Mas posso estar errado, reconheço. É que eu, apesar do meu conservadorismo reaccionário, ainda segundo as palavras do Francisco, entendo que as pessoas devem usar preservativos sempre que mantiverem relações sexuais com parceiros desconhecidos e que, mesmo sendo católicos, não devem obedecer a tudo o que dita a Igreja.
Só que, como conservador liberal que sou, compreendo que esta mesma Igreja é uma instituição respeitável, com mais de 2000 anos de existência, que tem as suas regras e as suas leis próprias - e não vou ser eu que as vou pôr em causa. Isto ainda que o Francisco, o JPH, ou mesmo o dr. Louçã, na sua imensa e reconhecida sabedoria, entendam o contrário e pretendam transformar a Igreja num grupúsculo qualquer, talvez à semelhança e imagem do Bloco de Esquerda.

[PPM]

Comments on "Se a esquerda mandasse na Igreja"

 

Blogger NeuroGlider said ... (7:38 da tarde) : 

O Louçã, o Saramago e o Soares só fizeram aquilo a que a Igreja faz todos os dias a milhares de pessoas que não acreditam nela mas a que ela teima em intrometer nos seus assuntos quotidianos excretando os seus mui doutos tratados morais de algibeira!

 

Blogger AMAFAS said ... (8:10 da tarde) : 

Por que Diabo (peço desculpa pela referência) O Acidental responde a praticamente todas as farpas lançadas? Não seria mais elevado não responder? Sendo O Acidental um blog com espaço consolidado na blogosfera portuguesa, não vejo mais-valia na picardia com todo e qualquer alvo que respire e atire uma bola de papel. A não ser que não tenham nada para escrever. Aí o caso muda de figura. Não me considerando um fã do blog e muito menos da ideologia, respeito-o. Mas já percebi que o melhor caminho para ser citado na blogosfera é o bota-abaixo! É a vida.

 

Blogger NeuroGlider said ... (11:32 da tarde) : 

Caro Amafas. Eu não estava a mandar farpas estava sim a constatar um facto. Estes senhores só se apoiam na política do faz o que eu digo e não o que eu faço. Quer dizer a igreja pode criticar seja quem for mas não pode ser criticada.
E digo-lhe mais eu não critico com o baixo abaixo. Apoio-me em factos e discuto tudo inteligentemente respeitando os outros. E alías para mim quem não discute quando nem sequer foi ofendido é porque não acredita muito nas ideias que anda a professar. E mais as ideias só se validam depois de confrontadas.
Pode crer caro Amafas eu uso a blogosfera com positivismo e saudável discussão de ideias, mas aqui neste blog é que se usa o bota abaixo.

 

Blogger AMAFAS said ... (6:23 da tarde) : 

Caro Neuroglider, eu não me estava a referir a si. Fiz-me entender mal. Eu estava a referir-me a outra situação. A minha ressalva era relativamente a uma obsessão por parte do < b >Acidental< /b > em defender a sua dama, de toda e qualquer forma, sem motivos para tal. Quer porque o < i >ataque< /i > não é suficientemente importante, quer porque não existe defesa possível. Faz-me confusão que uma farpa lançada por um blog com 15 dias seja prontamente respondida pelo Acidental.
Ficou mais claro? Eu não me estava a referir a si. Era ao post Acidental e não ao seu comentário, com o qual até concordo. Onde eu queria chegar era aqui:
O Acidental, por vezes serve-se dos pseudo-ataques que lhe fazem para empochar posts.

As minhas desculpas se não me expressei da melhor forma, não fazendo passar a mensagem da forma pretendida!

 

post a comment