Fundado por Paulo Pinto Mascarenhas


Ana Albergaria
Bernardo Pires de Lima
Diogo Belford Henriques
Eduardo Nogueira Pinto
Francisco Mendes da Silva
Henrique Raposo
Inês Teotónio Pereira
Jacinto Bettencourt
João Marques de Almeida João Vacas
José Bourbon Ribeiro
Leonardo Ralha
Luciano Amaral
Luís Goldschmidt
Manuel Castelo-Branco
Manuel Falcão
Nuno Costa Santos
Paulo Pinto Mascarenhas
Pedro Marques Lopes
Rodrigo Moita de Deus
Tiago Geraldo
Vasco Rato
Vitor Cunha


Logótipo Acidental concebido por Vitriolica. Grafismo gerado por Miss Still.


Acidental Long Play


Direita Liberal


O Acidental


Público

TSF

Lusa

Associated PressReuters


A Causa Foi Modificada
Bomba Inteligente
O Espectro
Educação Sentimental
A Vida em Deli
Futuro Presente
Aos 35
Vitriolica Webb's Ite
A Sexta Coluna
Tristes Tópicos
Some Like It Hot
Xanel 5/Miss Pearls
Crónicas Matinais
Rititi
Mood Swing
19 meses depois
Serendipity
A Propósito de Nada
The world as we know it
Minha Rica Casinha
Da Literatura
Tradução Simultânea
Contra a Corrente
O Estado do Sítio
Geraldo Sem Pavor
Acho Eu
A Arte da Fuga
O Sinédrio
Blue Lounge
Portugal Contemporâneo
A cor das avestruzes modernas
Kapa
Snob Blog

E Depois do Adeus
Margens de Erro
Nortadas
Office Lounging
No Quinto dos Impérios
Teorema de Pitágoras
What do you represent
Esplanar
Quase Famosos
Melancómico
Vício de Forma
João Pereira Coutinho I
João Pereira Coutinho II
Retalhos da Vovó Edith
Blogue dos Marretas
Lóbi do Chá
O Insurgente
A Mão Invisível
A Esquina do Rio
Voz do Deserto
Desesperada Esperança
Homem a Dias
Blasfémias
Origem das Espécies
Babugem
Ma-Schamba
Rua da Judiaria
Fuga para a vitória
Mar Salgado
A Ágora
Miniscente
A vida dos meus dias
Elasticidade
Causa Liberal
O Telescópio
Grande Loja do Queijo Limiano
O Intrometido
Carambas
Mau Tempo no Canil
Lobby de Aveiro
Bar do Moe
Adufe
Bloguítica
Tau-tau
Incontinentes Verbais
Causa Nossa
elba everywhere
O Observador
Super Flumina
Glória Fácil
Metablog
Dolo Eventual
Vista Alegre
Aforismos e Afins
A Cooperativa
Semiramis
Diário da República
Galo Verde
Ilhas
french kissin'
Bicho Carpinteiro
Portugal dos Pequeninos
Foguetabraze
A Invenção de Morel
Aspirina B
O Boato
O Vilacondense
O amigo do povo
O Insubmisso

Aviz
Barnabé
Blog de Esquerda
Fora do Mundo
Jaquinzinhos


Powered by Blogger


Google

quarta-feira, janeiro 19, 2005

Porque raio alguém quer ser árbitro de futebol?

Há anos que perco tempo a pensar no assunto. Não resisto. Sempre que vejo uma cadeira, garrafa ou moeda arremessada à tola – normalmente careca – do "azeiteiro" afundo-me no dilema: eles são voluntários ou alguém os obriga?

Para além de fiscal da EMEL, haverá profissão tão pouco dada ao reconhecimento do grande público? Os funcionários das finanças ao menos ainda são temidos. Agora um árbitro? Que respeito por um homem que, abdicando da sua dignidade ou do amor próprio, se oferece semanalmente para mais uma sessão de maus tratos?

Na escola, o árbitro era sempre aquele da turma que levava porrada e pedia desculpas. Aquele que não sabendo jogar à bola gostava muito da companhia. Aquele, que por usar óculos grossos, nem para a baliza servia.

Mas isso era na escola e nem o facto de continuarem a usar calções os desculpa da falta de senso nas opções que fazem. Árbitro de futebol? Como é que alguém aguenta ser tão mal amado? E porquê? Para quê?

Será pelo dinheiro? Consta que, para além das viagens, o caroço não serve sequer para pagar os guarda-costas. Pela aventura? A adrenalina de ser perseguido nas ruas de Penafiel por uma turba que reclama o nosso linchamento deve ser cativante, mas é menos perigoso fazer bungee jumping sem elástico. Será a eterna procura da fama e da glória? Não pode ser. A mãe do gajo fica sempre com a fama toda!

Se estivermos a falar da primeira divisão, até consigo entender uma certa curiosidade sociológica, ou mesmo fascínio, na surriada dita com sotaque do bolhão. Agora nas divisões secundárias? Que curiosidade? Que fascínio num “cabrão” dito em coro pelos três adeptos do Futebol Clube Pampilhosa da Serra?

Vamos falar verdade. Um árbitro só tem amigos nas vésperas dos jogos, que é um dia por semana. Só fica rico se estiver a contar com os países e as terras que visitou. Nunca será parte do “grupo” porque não pode andar em público com o "grupo". Nunca será lembrado pelas boas arbitragens mas pelos graves erros que cometeu. Só será famoso se for agredido por um jogador famoso. E será sempre insultado por uma das partes. Mesmo que seja bom árbitro. Mesmo que seja honesto. Especialmente, se for honesto.

Agora digam lá: um gajo que, sabendo tudo isto, ainda assim insiste em ser árbitro, não merece ser insultado?

[Rodrigo Moita de Deus]

PS: Hoje é dia de Liga dos Últimos na RTPN.

Comments on "Porque raio alguém quer ser árbitro de futebol?"

 

post a comment